Skip navigation

Monthly Archives: junho 2010

*
ontem, no meio daquele ATERRO ANTISSOCIAL INTERNO em que eu me encontrava, um francês bizarro resolveu se aventurar no ramo da paquera.

depois de perguntar se podia sentar ao meu lado no cinema e ouvir um – NÃO. COMPREI INGRESSOS PRA COLOCAR MINHA MOCHILA E MINHA BOLSA NESSAS CADEIRAS, o infeliz ainda me cai no clichê de tirar os sapatênis e perfumar o ambiente com um delicioso cheiro de cream cheese.

vê se eu mereço.
*
mas todo o desgosto foi recompensado quando cheguei ao hotel e me deram um quarto com sauna. SUBTERRÂNEA. com escada-calabouço ao lado da cama.

MEDO.
*
tenho muito problema com o woody allen. pessoal mesmo. não consigo ENTRAR NO CLIMA nos primeiros, sei lá, 20 ou 30 minutos de filme. não enquanto eu não esqueço que o filme é dele. assisti whatever works e achei a primeira parte uma merda foda, mas depois foi melhorando (melhorandoa apenas). então não sei mesmo. se a minha opinião é valida.
*
outra coisa que normalmente não me ganha é filme fantasia. tipo senhor dos anéis, piratas do caribe e suas variáveis. e eu sei. que entre o senhor dos anéis e piratas do caribe existe UM MUNDO de distância, mas sim. me refiro a basicamente TODOS eles.

ainda assim, recomendo bastante o mundo imaginário do dr. parnassus. a história é muito boa, tem momentos bem emocionantes, tem o heath ledger, o jude law e o tom waits. thumbs up.
*
e o figurino hein. de encher os olhos de lágrima.
*
e a direção é do terry gilliam, ex-monty phyton responsável por aquelas animações malucas e tals. o que dá um charme extra à tosquice dos efeitos.
*
*
*
o filme do woody allen me fez ter vontade de ler/assistir american splendor de novo e de novo e de novo. harvey pekar SEMPRE ocupará o posto de melhor mau humor no meu coração.
*

*
pois. é nesse clima de otimismo e fantasia que eu tento, pela infinitésima vez, retomar essa bagaça.
*
voltar ao blog me parece uma solução razoável quando se tem um small talker me ocupando a tarde inteira. emendando um assunto no outro, ignorando o fato de que, veja bem, eu não-estou-inte-ragindo.
*
tô passando por um trânsito (/personare) especialmente antissocial. com MUITA preguiça das pessoas. achando todo mundo de uma chatice/previsibilidade sem fim e reforçando a idéia de que, well. não mencaixo nesse mundo porque SOU FODA PRACARALHO e a humanidade simplesmente NÃO ME MERECE.
*
ou seja, tô fofa.
*
o mais curioso é que tem (alguns/poucos/bem poucos/RAROS) dias em que eu estou CHEIA de amor pra dar. e aí, amiga dona de casa, justamente NESSES DIAS, NENHUM PUTO puxa a porra de um papo comigo. nesses dias eu peço ISQUEIRO emprestado só pra puxar assunto e levo BAFORADA na cara. acordo trabalhada na animação e vou dormir me sentindo o ser humano mais desprezível da face da terra.

aí. em dias como hoje. em que eu olho pras pessoas e visualizo o encaixe dos seus maxilares no meio-fio. O MUNDO resolve ME AMAR.

tipo esse chinês aqui. que já contou toda a história dos seus ancestrais, cheia de criancinhas catarrentas com barriga d´água sendo escravizadas pela nike vivendo com 2 dólares por ano.

mal sabe ele que eu tô é CAGANDO pra essa porra toda. pelo menos por hoje.
*
gente. eu juro que tô escrevendo, OLHANDO PARA O MONITOR e ele não para de falar. não-pa-ra. jesusamado.
*
tentativa de post alto astral fail.
*